terça-feira, 31 de julho de 2012

Fábrica "Celuloses do Guadiana", em Mourão.


Quarta fase da construção da fábrica de papel "Celuloses do Guadiana", em Mourão.

Autor David Freitas
Data Fotografia 1954-10-26 -
Legenda Fábrica "Celuloses do Guadiana", em Mourão.
Cota DFT1714 - Propriedade Arquivo Fotográfico CME

sexta-feira, 27 de julho de 2012

quarta-feira, 25 de julho de 2012

Gastronomia Tradicional Alentejana - Caldeirada de Peixe do Rio (1)

Ingredientes: 
1 lampreia,
1 sável,
1 enguia,
1 muge,
1 safio,
1 picão,
3 carpas,
poejos,
hortelã da ribeira,
folhas de cebola,
tomate,
azeite,
alho,
pão,
água.

Preparação: 
Corta-se o peixe em pedaços pequenos, juntam-se todos os temperos, água até tapar o peixe e põe-se a cozer. Espera-se 15 minutos, prova-se de sal e serve-se numa terrina com pão duro cortado às fatias.

segunda-feira, 23 de julho de 2012

Cancioneiro Alentejano - Minha Doce Jovenzinha

Quando eu tinha 15 anos, 
Mais do que a prata valia! 
Namorava à mangação, 
Tinha amores quantos queria!

 Só uma pena me existe, 
Minha doce saudade, 
É olhar para o teu rosto, 
Ver-te assim tão pouca idade. 
Ver-te assim tão pouca idade, 
Ver-te assim tão criancinha! 
Só uma pena me existe, 
Minha doce jovenzinha!

 Que fizeste ao sorriso, 
Com que me cumprimentavas! 
Não esqueças que eu preciso,
 Do modo com que me olhavas! 
 Só uma pena me existe,
 Minha doce saudade, Etc.

sábado, 21 de julho de 2012

Capela da Igreja do Calvário, no Redondo


Capela da Ordem Terceira de São Francisco, na Igreja do Calvário do Redondo. No altar vê-se a imagem do Senhor Jesus dos Passos (sécs. XVII-XVIII). Esta imagem está publicada no Inventário Artístico de Portugal de Túlio Espanca (Distrito de Évora, Zona Sul, Volume II)

Autor David Freitas
Data Fotografia 1978 ant. -
Legenda Capela da Igreja do Calvário, no Redondo
Cota DFT4688 - Propriedade Arquivo Fotográfico CME

terça-feira, 17 de julho de 2012

domingo, 15 de julho de 2012

Gastronomia Tradicional Alentejana - Cabrito à Nossa Moda

Ingredientes: 
1 cabrito ou metade, como preferir; 
2 cabeças de alhos; 
azeite q.b; 
1 colher de chá de colarau (pimentãodoce); 
2 caldos knorr; 
sal q.b; 
vinho branco para regar; 
batatas miúdas; 
Legumes cozidos a seu gosto; 
Cebolinhas 

Preparação: 
Um dia antes limpe o cabrito de gorduras e lave-o. Num recepiente coloque as cabeças de alho descascadas, o colarau, o caldo knorr, o sal e cubra com azeite. Triture tudo com uma varinha mágica e esfregue o cabrito com esta mistura e reserve no frigorífico durante 24 horas. Passadas as 24 horas coloque o cabrito num recepiente para ir ao forno, descasque as cebolas e as batatinhas e espalhe em volta do cabrito. Regue com 3 copos de vinho branco e leve ao forno. Á medida que vai assando verifique se precisa de mais vinho e vá virando ao cabrito e as batatas para que assem dos dois lados. Coza legumes a seu gosto para acompanhar. O ideal seria grelos de nabo ou de couve. Sirva o cabrito quente mesmo no recepiente que foi ao forno com as batatas e coloque outro com os legumes.

sexta-feira, 13 de julho de 2012

Cancioneiro Alentejano - Meu Lírio Roxo do Campo

Meu lírio roxo do campo, 
Criado na Primavera,
 Desejava, amor, saber, 
Ai! Ai! 
A tua intenção qual era.
 A tua intenção qual era,
Qual era o teu proceder, 
Meu lírio roxo do campo, 
Ai! Ai! 
Quem te pudesse ir colher!
 Quem te pudesse ir colher, 
Oh! meu amor, quem me dera! 
Desejava, amor, saber,
 Ai! Ai! 
A tua intenção qual era!

quarta-feira, 11 de julho de 2012

Pedra dos Namorados


Menir "Pedra dos Namorados", em Reguengos de Monsaraz.

Autor David Freitas
Data Fotografia 1950 - 1970
Legenda Pedra dos Namorados
Cota DFT1036 - Propriedade Arquivo Fotográfico CME

sábado, 7 de julho de 2012

quinta-feira, 5 de julho de 2012

Gastronomia Tradicional Alentejana - Borrego à Camponesa

Ingredientes: 
1,5 kg de borrego, 
azeite, 
1 folha de louro, 
5 dentes de alho, 
1 colher de chá de colorau, 
1 limão, 
1 molho de coentros, 
sal, pimenta e piripiri. 

Preparação: 
Corta-se o borrego e tempera-se com sal pisado, dentes de alho e louro. Leva-se ao lume um tacho com azeite necessário para fritar. Logo que esteja bem quente, frita-se o borrego até alourar. Adiciona-se água e deixa-se cozer com o tacho tapado. Tempera-se com o colorau, a pimenta e o piripiri. Pouco antes de servir misturam-se os coentros picados e o sumo de limão. Serve-se com esparregado.

terça-feira, 3 de julho de 2012

Cancioneiro Alentejano - Meu Lírio Roxo (Ao romper ...)

Badajoz tem lindas moças 
Portugal também as tem 
Meu lírio roxo 
Tiro, liro, liro, 
Para amar meu bem 

 Ao romper da bela aurora 
Sai o pastor da cabana 
Meu lírio roxo 
Sai o pastor da cabana 
Vem gritando em altas vozes 
Muito padece quem ama 
Meu lírio roxo 
Muito padece quem ama 

 Badajoz tem lindas moças 
Portugal também as tem 
Meu lírio roxo
 Portugal também as tem

domingo, 1 de julho de 2012

Fachada do Cv. de St. António da Piedade, Redondo


Fachada do Convento de Santo António da Piedade (Cemitério Público), no Redondo.

Autor David Freitas
Data Fotografia 1978 dep. -
Legenda Fachada do Cv. de St. António da Piedade, Redondo
Cota DFT929 - Propriedade Arquivo Fotográfico CME
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens populares

Recomendamos