terça-feira, 29 de abril de 2014

domingo, 27 de abril de 2014

sábado, 26 de abril de 2014

sexta-feira, 25 de abril de 2014

Lenda da Ponte da Portagem

A ponte romana da Portagem tinha que ser feita numa só noite.
Eram quatro galos e não sabiam qual cantava primeiro. Então os mouros meteram mão ao trabalho, porque, se cantasse o galo preto, tinham que largar tudo, pois corriam perigo.
Mas por sorte cantou primeiro o galo amarelo e gritaram todos:
“Trabalha o martelo!”
E continuaram com toda a pressa. E cantou o galo pedrês:
“E toca a trabalhar a torquês!”
E ainda com mais pressa porque já tinham cantado dois galos. E cantou o galo branco e gritaram todos:
“Ainda não me espanto!”
E mais pressa tinham. Só faltava o preto que era o do perigo. E lá canta o preto.
“Oh, com esse não me meto!”
Toca a largar tudo sem tão pouco olhar para trás.
E assim sendo, conta a lenda que ficou a ponte por acabar, pois faltava colocar a última pedra.

Versão de Portalegre, registada em 2001 por Rita de Jesus Cordas Barroqueiro (n. Reguengo, 1934) e transcrita por Ruy Ventura (2005) – Contos e Lendas da Serra de São Mamede, antologia breve, Almada, Associação de Solidariedade Social dos Professores: 81.

quarta-feira, 23 de abril de 2014

segunda-feira, 21 de abril de 2014

sábado, 19 de abril de 2014

quinta-feira, 17 de abril de 2014

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Portalegre - Rua de Elvas


terça-feira, 15 de abril de 2014

Lenda da Pedra da Moura

No sítio em que o rio Caia se aproxima da ribeira de Arronches, fica uma grande pedra que está sempre rodeada por água. Nela está uma moura encantada.

O pai da moura, que era rei, queria que ela casasse com um nobre escolhido por ele, mas a princesa não quis casar, porque gostava de um príncipe mouro que estava na guerra. Por isso foi encantada na pedra.

Nas noites de São João, a moura senta-se na pedra a cantar canções delicadas ao jovem guerreiro.

Quem passar nessa noite pela pedra da moura, morre. Mesmo quem não acredita na lenda não passa pela pedra da moura na noite de São João.

Versão, de proveniência desconhecida, recolhida por Maria Guadalupe Transmontano Alexandre e publicada por Ruy Ventura (2005) – Contos e Lendas da Serra de São Mamede, antologia breve, Almada, Associação de Solidariedade Social dos Professores: 102.

domingo, 13 de abril de 2014

sexta-feira, 11 de abril de 2014

quarta-feira, 9 de abril de 2014

domingo, 6 de abril de 2014

Portalegre - Rua de Elvas


sábado, 5 de abril de 2014

Lenda da Moura dos Fortios

Dizem que um moço, ao voltar do namoro, passou por uma velhinha com um tabuleiro de passas, que lhe disse:

- “Tire uma passinha.”

Ele recusou, ela insistiu, e ele tirou duas passas. Quando já tinha andado um bom bocado de caminho, lembrou-se de comer uma passa, mas ficou espantado ao encontrar duas moedas de ouro. Voltou ao sítio onde tinha encontrado a velha, e ali encontrou o tabuleiro com meio braço humano. Pensando no ouro levantou o meio braço, e então ouviu tantos gemidos e tão fortes, que faziam tremer o chão.

Largou-o cheio de medo.

Versão de Fortios (Portalegre), recolhida (em 1984) e publicada por Maria Tavares Transmontano (1997) – Subsídios para uma Monografia de Portalegre, Portalegre, Câmara Municipal de Portalegre: 133 – 134.

quinta-feira, 3 de abril de 2014

quarta-feira, 2 de abril de 2014

terça-feira, 1 de abril de 2014

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens populares

Recomendamos